Mitos Referentes à Coluna Vertebral


Cada indivíduo tem uma postura diferenciada?

A postura do ser humano pode ser definida como um composto de posições das diferentes articulações do corpo num dado momento onde a posição na qual um mínimo estresse é aplicado em cada articulação pode ser considerada como postura correta¹ ou alinhamento do corpo com eficiências fisiológicas e biomecânicas máximas minimizando o stress e sobrecarga ao sistema de apoio pelos efeitos da gravidade². Para que possamos estar em boa postura é necessário harmonia e equilíbrio do sistema neuromusculoesquelético. No desenho abaixo temos 5 exemplos de postura:

5 exemplos de postura A. Postura normal
B. Aumento das curvaturas da coluna
C. Região do tronco está mais curvada para trás
D. Tronco inteiro com curvas diminuídas
E. Pescoço, tronco e lombar sem curvatura alguma

Imagem: Bricot, 2004

Má postura é aquela em que ocorre um desequilíbrio das várias partes corporais induzindo a um aumento da agressão às estruturas de suporte³ devido a: -posições inadequadas e repetitivas que com o passar dos anos podem causar distúrbios músculo-esqueléticos

-doenças cujas dores obrigam a pessoa a assumir uma postura viciosa com alinhamento do corpo com eficiências fisiológicas e biomecânicas fora do normal para aliviá-las.

Assim o objetivo principal da avaliação postural é diagnosticar os desequilíbrios posturais. Sua análise envolve identificar se um segmento corporal ou articulação desvia-se de um alinhamento postural ideal (relativos à linha de gravidade). Na avaliação postural o paciente deve se sentir à vontade, evitando rigidez e posições não-naturais, havendo a necessidade de ser visibilizado o equilíbrio global do corpo.

A boa postura é aquela que melhor ajusta nosso sistema músculo-esquelético, equilibrando e distribuindo todo o esforço de nossas atividades diárias, favorecendo a menor sobrecarga em cada uma de suas partes.


Existe segredo para uma Coluna Vertebral saúdavel?
 
Manter a postura ao deitar, sentar, caminhar ou mesmo em pé parado é a melhor maneira de conservar a saúde da coluna vertebral ao longo da vida.


Como escolher o travesseiro e colchão ideais?

Quando for escolher um colchão observe à especificação correta da composição de seus elementos. Saiba que existe uma tabela baseada em princípios de ergonomia que indica a relação entre o peso/altura da pessoa com a pressão que o respectivo volume exerce sobre o colchão.

O INMETRO aconselha: “O colchão deve ser adequado ao biótipo (relação peso/altura) de cada pessoa; deve ser firme e flexível, isto é, ser confortável e ao mesmo tempo dar a sustentação suficiente para suportar todo o peso do corpo sem ceder, proporcionando uma posição ortopedicamente correta que apoie o corpo e minimize os esforços musculares durante o repouso. O colchão de espuma flexível de poliuretano de densidade 33 kg/m3 é o mais adequado para o biótipo brasileiro“. Atualmente os modelos mais comuns nas lojas têm espuma com densidade entre 28 e 33 kg/m3 e altura entre 8 e 10 centímetros.

Dicas básicas:

- deve ser mais para o rígido do que para o mole
- exercer uma função ortopédica cedendo na medida exata da curvatura do corpo
- quem dorme em colchão de casal deve considerar sempre o corpo que for maior

A escolha do travesseiro depende da posição que a pessoa costuma dormir:

- de costas deve ser macio e fino para preencher o espaço entre a nuca e o colchão
- de lado o melhor travesseiro é o de espuma com altura suficiente para preencher o espaço criado pelo ombro entre a cabeça e o colchão

Lembre - se: o ser humano que dorme cerca de 8 horas de sono por dia passa aproximadamente 1/3 de sua vida deitada (ao atingir a idade de 60 anos terá passado 20 anos de sua vida deitado em um colchão). Não convém continuar dormindo em colchão que não esteja em bom estado, observando sempre o prazo de garantia que, no geral, é o mesmo que prazo de validade.


Qual é a melhor posição no colchão para uma boa noite de sono?

A melhor posição para dormir A melhor posição para dormir é de costas ou de lado, mantendo a postura reta do corpo em contato com o colchão, auxiliado com a ajuda de travesseiros para apoiar-se independente da posição escolhida.
De costas o travesseiro para apoiar a cabeça pode ser fino e, de lado, deverá ter a altura do ombro, ou seja, a distância da cabeça ao colchão.
O uso de mais dois travesseiros pequenos pode trazer ainda mais conforto: um para ser colocado entre os joelhos e o outro para abraçar, gerando maior apoio para os braços cruzados.

 

Dormir no chão é bom para Dor na Coluna Vertebral?

Não é recomendado pois algumas pessoas podem apresentar dificuldades em assumir posturas corretas ao dormir devido o contato de seu corpo com uma superfície muito rígida (chão ou colchão muito duro). Essa postura inadequada assumida pelo desconforto da superfície pode inclusive acentuar ainda mais uma possível contratura da musculatura paravertebral já presente e agravar em muito a dor. A longo prazo podem haver comprometimento das vértebras, discos intervertebrais, raízes nervosas e até da medula espinhal, causando prejuízos a sensibilidade e aos movimentos.


Paciente com Dor na Coluna Vertebral deve permanecer em repouso absoluto ou por longos períodos?

Dor não é sinônimo de repouso absoluto nem de repouso por longos períodos (a força muscular pode reduzir até 20% em uma semana de repouso, o metabolismo corporal diminui e os ossos perdem cálcio; as articulações perdem amplitude de movimento decorrente das contraturas e encurtamentos; o sistema nervoso torna-se lento, diminuindo o equilíbrio e a coordenação; perde-se o apetite, o sono e há casos em que pode-se instalar um quadro de depressão). É fundamental e classicamente recomendado ficar em repouso relativo por período mais breve possível, retornando progressivamente as atividades diárias e, contribuindo assim, para a otimização de seu tratamento. Portanto, mexa-se.


É útil realizar massagem para aliviar Dor na Coluna Vertebral?

Como regra orientamos a necessidade de se tratar também a causa e não somente o sintoma (Dor).

Muitas vezes mesmo quando a manipulação da coluna vertebral é realizado por profissional habilitado e provoca alívio da dor não há como este assegurar o diagnóstico precoce de uma possível doença nem mesmo aplicar tratamento específico se existe tal condição.

Consultar um especialista médico em Doenças da Coluna Vertebral permite:

- diagnóstico correto
- tratamento adequado
- indicação específica de reabilitação para cada caso
- possibilita real e efetiva melhora da qualidade de vida do paciente

Quais são as condições que podem gerar Dores na Coluna Vertebral?

Uma das condições mais importantes é, sem dúvida, o tipo de trabalho exercido pelo indivíduo.

mitos 03

Se o seu trabalho está intimamente relacionado a levantar, carregar ou empurrar cargas excessivas com postura inadequada, como por exemplo podem ocorrem no trabalho manual, doméstico, rural ou mecânico, que de certa forma se utilizam do trabalho braçal (caracterizado pela utilização do próprio corpo, através de seu esforço físico para desenvolver determinada atividade), leia atentamente nossas orientações nesta página do site pois você pode estar provocando uma tensão exagerada sobre a coluna e proporcionar o aparecimento de Dores na Coluna Vertebral.

O mesmo pode acontecer naquelas profissões em que o indivíduo permaneça sentado ou de pé por tempo prolongado ou com postura inadequada.

mitos 04

Podemos citar várias outras condições:

- falta de condicionamento físico e saúde em geral, que são reflexos da vida sedentária, associado a obesidade e flacidez da musculatura abdominal
- história de trauma, fratura ou presença de desvio do eixo normal da coluna vertebral, que podem produzir distensões e espasmos musculares
- tabagismo
- personalidade inerente a cada indivíduo e seu estado na sociedade, podendo interpretar e responder a dor de acordo com os variados graus de estresse psicológico e tensão emocional  que são submetidos, de acordo com a insatisfação no trabalho, problemas econômicos, conflitos familiares, depressão, ansiedade, abuso de drogas e ganho secundário (vantagens práticas que podem ser alcançadas usando-se um sintoma para manipular e/ou influenciar outras pessoas)

Todos os pacientes com Dores na Coluna Vertebral devem fazer exames radiológicos?

O aspecto fundamental e mais importante do atendimento médico é detalhar atenciosamente a história clínica ou “queixa do paciente“ e realizar um minuncioso exame físico. Exames radiológicos sempre serão complementares, isto é, auxiliaram a confirmar a suspeita diagnóstica. A depender da história clínica e do exame físico não é recomendado solicitá-los de rotina numa consulta inicial se o paciente apresentar idade inferior a 40 anos.

Quais são os cuidados que devemos ter ao carregar bolsas, pastas e mochilas escolares para se evitar Dores na Coluna Vertebral?

A Organização Mundial da Saúde (O.M.S.) preconizou que crianças do ensino fundamental devem carregar mochilas com peso equivalente a no máximo 10% do seu peso corporal. Caso este limite não seja respeitado, crianças e adolescentes poderão sofrer conseqüências a curto, médio e longo prazo, pois é nesta fase da idade escolar que seu desenvolvimento encontra-se em evolução, passando por um período de crescimento acelerado e de desenvolvimento das estruturas músculo-esqueléticas. Forças externas tais como as impostas pelas mochilas escolares poderiam influenciar no crescimento, desenvolvimento e manutenção do alinhamento postural bem como propiciar lesões. Vale ressaltar que Dores na Coluna Vertebral podem estar relacionadas com déficit de atenção e consequente dificuldade de aprendizado escolar.

Lembrar que um dos principais problemas ocasionados pelo ato de carregar inadequadamente bolsas, pastas e mochilas escolares são a hipercifose torácica (também conhecido como corcunda - com ombros projetados para frente) e a escoliose postural (também conhecido como coluna em formato de “S” - com diferença entre altura os ombros) ocasionada principalmente quando o objeto é apoiado em apenas um dos ombros. Sua associação com o abuso de peso pode acarretar também distúrbios nos joelhos, quadril e pés.

mitos 05

Observações importantes: Dar preferência para bolsas, pastas e mochilas escolares com alças acolchoadas para ajudar amortecer a pressão sobre os ombros e que possuam amortecedores para a região dorsal e cinto abdominal de ajuste para mantê-las bem junto ao corpo. Evite aquelas com muitos detalhes como bolsos e enfeites porque aumentam o peso final. No caso específico de mochilas escolares, o seu tamanho deve ser adequado à estatura da criança, não ultrapassando os limites de sua cintura e de seus ombros. O peso da mochila vazia não deve superar um quilo. É fundamental que os pais fiquem atentos à postura de seus filhos e regulem suas mochilas escolares.


Para o tratamento de Dores da Coluna Vertebral a natação é boa opção?

Normalmente a natação não está entre as atividades físicas recomendadas para aliviar dores de coluna. Ela promove uma rotação das vértebras, o que pode agravar lesões de algumas estruturas da coluna como os discos intervertebrais e ligamentos. O risco é maior quando se pratica o nado clássico e borboleta.

mitos 06

Existem situações em que ela é indicada, como em casos de deformidades posturais (dorso curvo). Não se deve contra-indicar nado livre para pacientes que sentem benefícios e não se queixam de dores com a sua prática regular. No entanto, deve-se alertá-los para não deixar de fazer alongamento antes de entrar na água. Esses exercícios podem ser úteis na prevenção de dor principalmente a dor lombar.

 

BIBLIOGRAFIA CITADA

1. Magee DJ. Avaliação musculoesquelética. 4a ed. São Paulo: Manole; 2005.

2. Palmer, L.M; Apler, M.E. Fundamentos das Técnicas de Avaliação Músculo Esquelética. 2a edição. São Paulo: Guanabara Koogan, 2000

3. Knoplich, J. Enfermidades da coluna vertebral: uma visão clínica e fisioterapêutica. 3a edição. São Paulo: Robe, 2003

PARA SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO OU ESCLARECER SUAS DÚVIDAS, MANDE UM E-MAIL: neurocranioecoluna@yahoo.com.br