Aneurisma Cerebral

Aneurisma cerebral é uma dilatação - sacular ou fusiforme - que se forma através da parede enfraquecida de uma artéria (mais comumente localizada no chamado “Polígono de Willis”.

Hemorragia subaracnóidea é a hemorragia que se forma para dentro das meninges (membranas que cobrem o cérebro) devido ao rompimento de um aneurisma cerebral.

ANEURISMA CEREBRAL
ANEURISMA CEREBRAL


Com relação a localização aproximadamente 85% dos aneurismas cerebrais se desenvolvem na porção anterior do “Polígono de Willis”, envolvendo as artérias carótidas internas e seus ramos maiores que vascularizam as porções anterior e média do cérebro.

Os locais mais comuns incluem a artéria comunicante anterior - 30-35% - geralmente em homens; a bifurcação da carótida interna e artéria comunicante posterior - 30-35% - geralmente em mulheres; a bifurcação da artéria cerebral média - 20%; a bifurcação da artéria basilar e as outras artérias que fazem a circulação posterior - 5%. Em 20% dos casos o paciente apresenta mais de um aneurisma.

POLÍGONO DE WILLIS

POLÍGONO DE WILLIS


Os aneurismas que ocasionam hemorragias subaracnóideas não costumam apresentar sintomas antes da ruptura. A ruptura costuma produzir uma dor de cabeça repentina e intensa, seguida, muitas vezes, de uma perda de consciência e/ou déficit neurológico sensitivo ou motor (dependente da localização do aneurisma).

O diagnóstico de uma hemorragia subaracnóidea costuma estabelecer-se através de uma tomografia computadorizada de crânio. Complementa-se a investigação com angiotomografia e/ou angiografia cerebral. A punção lombar, se for necessário praticá-la, pode revelar a presença de sangue no líquido cefalorraquidiano.

HEMORRAGIA SUBARACNÓIDEA

HEMORRAGIA SUBARACNÓIDEA


Tratamento

Nem todos os aneurismas precisam ser tratados. Quando detectado o aneurisma cerebral, uma análise cuidadosa do histórico do paciente deve ser feita para definir necessidade de tratamento.

Caso se opte por intervenção, pode ser feita uma microcirurgia, em que o cérebro é aberto e coloca-se um clipe metálico na base do aneurisma, ou o método endovascular, em que um minúsculo cateter segue por dentro das artérias da virilha até o cérebro e é posicionado no interior do aneurisma. Através dele são implantados microespirais de platina, para preenchê-lo. Nos dois casos o objetivo é obstruir a circulação de sangue no aneurisma.

Nos pacientes que sofreram hemorragia subaracnóidea, os aneurismas devem ser sempre tratados e as sequelas e a recuperação variam de acordo com a gravidade.  

 

CLIPAGEM DE ANEURISMA

CLIPAGEM DE ANEURISMA


Prevenção

Além de evitar o consumo de cigarro, as pessoas que têm casos na família devem fazer consultas regulares ao médico para acompanhamento, controlar os níveis de pressão arterial e evitar o uso excessivo de bebida alcoólica.

PARA SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO OU ESCLARECER SUAS DÚVIDAS, MANDE UM E-MAIL: neurocranioecoluna@yahoo.com.br