Estimulação Cerebral Profunda (D.B.S.)

DOENÇA DE PARKINSON

Descrita primeiramente por James Parkinson em  "An Essay on the Shaking Pulse" (1817) a doença de Parkinson é um distúrbio do movimento caracterizado por quatro sinais essenciais: rigidez, tremor (geralmente maior quando o paciente está em repouso), bradicinesia (lentidão de movimentos) e instabilidade postural (com tendência a quedas) e há também comprometimento cognitivo.

DR. JAMES PARKINSON
DR. JAMES PARKINSON


No cérebro entre o pedúnculo cerebral e o tegmento encontra-se uma região muito importante denominada substância negra. É uma porção heterogênea do mesencéfalo responsável pela produção de dopamina no cérebro. Tem uma função principalmente motora e interfere no tónus muscular. Tem conexões com córtex cerebral, medula espinhal, hipotálamo e núcleos da base (mais concretamente com o estriado - núcleo caudado e putâmen). A degeneração dos neurônios pigmentados nesta região é a principal causa da doença de Parkinson. Na maioria dos pacientes com Parkinson, a causa da morte destes neurônios produtores de dopamina é desconhecida.

DOENÇA DE PARKINSON
DOENÇA DE PARKINSON


A terapia de estimulação cerebral profunda (Deep Brain Stimulation - DBS) pode reduzir muitos dos sintomas da Doença de Parkinson.

ESTIMULAÇÃO CEREBRAL PROFUNDA  (D.B.S.)
ESTIMULAÇÃO CEREBRAL PROFUNDA  (D.B.S.)


Essa terapia ajustável, e se necessário reversível, usa um dispositivo médico cirurgicamente implantado semelhante a um marca-passo cardiaco - às vezes chamado de "marca-passo cerebral" – que produz pulsos elétricos necessários para fornecer estimulação elétrica a regiões do cérebro que controlam o movimento - bloqueando sinais que causam sintomas motores desabilitantes.

O sistema de DBS consiste de três componentes implantados:

  • dois cabos-eletrodos implantados no cérebro
  • duas extensões que passam sob a pele, desde a cabeça, através do pescoço até a parte superior do peito
  • um ou dois neuroestimuladores implantados sob a pele do peito, abaixo da clavícula e conectados às extensões

Os parâmetros de estimulação elétrica do dispositivo implantado podem ser ajustados não-invasivamente pelo seu médico para se maximizar os benefícios da terapia utilizando um dispositivo de programação externa.

ESTIMULAÇÃO CEREBRAL PROFUNDA  (D.B.S.)
ESTIMULAÇÃO CEREBRAL PROFUNDA  (D.B.S.)


A Terapia DBS está atualmente aprovada para tratar Doença de Parkinson, tremor essencial e distonia. Pode ser uma das opções de tratamento para pacientes na fase moderada da doença. Em geral, não se indica a cirurgia para pacientes com menos de cinco anos de doença ou com comprometimento cognitivo severo.

A implantação de um sistema neuro-estimulador carrega os mesmos riscos associados a uma cirurgia cerebral e podem incluir desde riscos inerentes a técnica cirúrgica, efeitos colaterais da estimulação ou complicações com o dispositivo.

O resultado final é que as pessoas conseguem ter maior controle sobre seus movimentos corporais e melhorar significativamente sua qualidade de vida.

PARA SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO OU ESCLARECER SUAS DÚVIDAS, MANDE UM E-MAIL: neurocranioecoluna@yahoo.com.br