Nevralgia do Trigêmio

Uma das dores mais severas de que se tem conhecimento, a nevralgia (ou neuralgia) essencial do trigêmeo é o protótipo da dor neuropática, uma síndrome de dor facial rara caracterizada por dor tipo choque-elétrico, lancinante, paroxística, e é sentida dentro da distribuição de uma ou mais divisões do nervo trigêmeo, responsável pela sensibilidade da face. A dor ainda é descrita como se fosse a sensação de um fio elétrico desencapado encostando-se à face.

NEVRALGIA DO TRIGÊMIO
NEVRALGIA DO TRIGÊMIO


Cada ataque de dor dura apenas alguns segundos (mas a dor pode ser tão repetitiva num curto intervalo de tempo de tal forma que cada ataque novo pode se confundir com o antecedente, dando às vezes a sensação de dor contínua no paciente).

Frequentemente a dor é acompanhada de leves “espasmos faciais” ou “tic” (por este motivo é conhecida como tic douloureux - que em francês significa tic doloroso).

A dor pode ser deflagrada por estímulos originados na pele, mucosa ou dentes inervados pelo nervo trigêmeo ipsilateral (zonas-gatilho - triggers points).


NEVRALGIA DO TRIGÊMIO – PONTOS GATILHOS
NEVRALGIA DO TRIGÊMIO – PONTOS GATILHOS


Atividades cotidianas como dormir, fazer a barba, escovar os dentes, comer e até mesmo falar podem ser extremamente difíceis podendo afetar significativamente a qualidade de vida (emagrecimento, desidratação, depressão e até mesmo ao suicídio).

O diagnóstico é essencialmente clínico, no entanto, se houver déficit neurológicos associados à neuralgia do trigêmeo (NT) estudos de imagem devem ser solicitados.

A nevralgia do trigêmeo se divide em essencial (primária) ou secundária:

  • primária: multicausal - sendo consenso que a principal (mas não única) seja o contato neurovascular - contato crônico de uma artéria sobre o nervo trigêmeo - causa uma lesão no local do contato provocando desmielinização local e conseqüentemente hiperexcitabilidade das fibras nociceptivas (levando à dor).
  • secundária: normalmente é de origem diagnosticável (como por exemplo tumores no ângulo cerebelopontino) podendo apresentar déficit neurológico.

O tratamento clínico inicial é feito com o uso da carbamazepina  (medicamento de primeira escolha).

Em casos de dor refratária pode-se indicar a rizotomia percutânea por radiofrequência (apresenta ótimos resultados ao provocar uma lesão à nível do gânglio do nervo trigêmeo para impedir a passagem dos estímulos nociceptivos - 1 ramo oftálmico - 2 ramo maxilar - 3 ramo mandibular).


RIZOTOMIA PERCUTÂNEA POR RADIOFREQUÊNCIA
RIZOTOMIA PERCUTÂNEA POR RADIOFREQUÊNCIA


O tratamento cirúrgico está indicado na falha deste e/ou diagnosticado o conflito neurovascular (as artérias intracranianas vão se tornando mais tortuosas com o avançar da idade e uma alça vascular pode aproximar-se da origem aparente do nervo trigêmeo na região da ponte - tronco encefálico - esta região chamada de “entry zone” é mais sensível devido à junção das porções periférica e central do nervo - onde se inicia a camada de mielina -  o conflito neurovascular é considerado a causa da doença).

   CIRURGIA DE  DESCOMPRESSÃO NEUROVASCULAR - NEVRALGIA DO TRIGÊMIO
CIRURGIA DE  DESCOMPRESSÃO NEUROVASCULAR - NEVRALGIA DO TRIGÊMIO


A escolha do tratamento percutâneo ou cirúrgico nos casos em que os medicamentos não proporcionam mais alívio da dor deve ser discutida com o paciente e sua família.

O tipo de procedimento a ser realizado vai depender das condições gerais do paciente e da adequação individual - vantagem/desvantagem de cada procedimento.

PARA SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO OU ESCLARECER SUAS DÚVIDAS, MANDE UM E-MAIL: neurocranioecoluna@yahoo.com.br